Em meio a ataques, Fortaleza tem frota de ônibus reduzida e paradas lotadas

onibus escoltado

Em meio à onda de violência que atinge o Ceará pelo quinto dia seguido, passageiros de ônibus de Fortaleza enfrentaram dificuldades para usar o transporte público nesta terça-feira (24). Os terminais e paradas de ônibus, que circulam com 70% da frota habitual, ficaram lotados durante a manhã, e as viagens ocorreram sob escolta policial.

  • Ceará tem 5º dia de ataques a veículos e prédios públicos

Desde sexta-feira (20), pelo menos 30 ataques a prédios, carros e ônibus ocorreram na capital e em cidades do interior do estado. O governo não divulgou a possível motivação para a série de ações criminosas. Fontes ligadas ao sistema penitenciário do Ceará informaram ao G1 que a descoberta de um plano de resgate de presidiários e o isolamento dos detentos que tinham a intenção de fugir gerou reações dos criminosos.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Ônibus do Ceará (Sindiônibus), todas as linhas que circulam em Fortaleza devem ficar disponíveis ao longo desta terça, mas algumas terão rotas alteradas. Entidade não informou quais linhas tiveram mudanças no itinerário.

 Com redução da oferta de ônibus, paradas estão lotadas à espera de transporte público — Foto: Marina Alves/TV Verdes Mares

Com redução da oferta de ônibus, paradas estão lotadas à espera de transporte público — Foto: Marina Alves/TV Verdes Mares

Nesta terça, dois caminhões e três ônibus sofreram ataques incendiários nas cidades de Canindé e em Ibaretama. Em um deles, um caminhoneiro que dormia no veículo acordou assustado e sofreu queimaduras. Ele foi atendido em um hospital e passa bem.

Também houve ataques a veículos da Cagece e Enel (distribuidoras de água e energia no Ceará) entre domingo (22) e segunda-feira (23), mas os serviços dessas empresas não foram afetados até esta terça.

Motivação dos ataques

Uma fonte do sistema penitenciário informou ao G1 que agentes de segurança impediram uma fuga em massa de um presídio em Aquiraz, na Grande Fortaleza – essa seria uma das possíveis motivações para a sequência de ataques. O plano foi descoberto em um papel na boca de um detento na semana passada.

Ainda conforme a fonte, os internos que iriam fugir passaram por um regime disciplinar mais rigoroso, com vistorias nas celas e permanência em áreas isoladas da detenção.

Pelo WhatsApp, o secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, e o chefe da PM no Ceará, Alexandre Ávila de Vasconcelos, pediu que as equipes de segurança ficassem em alerta.

"Mais uma vez o estado está sob ataques, tudo indica. Temos que novamente mostrar que o estado não cederá nenhum milímetro", afirmou Mauro Albuquerque.

Policiais militares de férias foram convocados para retornar às atividades, e servidores que estavam em cursos tiveram as aulas suspensas para reforçar o policiamento ostensivo, informou a secretaria.

O governador do Ceará, Camilo Santana, afirmou que "não iria recuar" das medidas mais rigorosas adotadas nos presídios do estado.

Veja, abaixo, a sequência de ataques no Ceará:

Sexta-feira (20)

  • caminhão roubado na cidade de Quixadá e incendiado em Quixeramobim.

Sábado (21)

  • ataque contra torre de telefonia no Bairro Messejana, em Fortaleza;
  • um caminhão de frios incendiado na Avenida das Adenanteras, no Bairro Cidade 2.000, em Fortaleza.

Domingo (22)

  • ataques a três caminhões na BR-116 no Bairro Ancuri, em Fortaleza;
  • posto de combustível incendiado em Quixadá;
  • veículo carregado de papel higiênico em Maracanaú, na Grande Fortaleza, também é incendiado;
  • ataque incendiário a um caminhão no Bairro Cidade 2.000, em Fortaleza;
  • tentativa de ataque a uma loja de veículo na Avenida Godofredo Maciel, em Fortaleza;
  • carro da Enel atacado em Quixadá.

Segunda (23)

  • ônibus particulares incendiados nos Bairros Ancuri, Aracapé e Canindezinho, em Fortaleza;
  • ataque a dois carros da Enel nos Bairros Jangurussu e Conjunto Esperança, em Fortaleza;
  • uma van incendiada no Bairro Sítio São João, em Fortaleza;
  • um ônibus escolar atacado na cidade de Paracuru, na Grande Fortaleza;
  • uma van incendiada no Bairro Vila Velha, em Fortaleza;
  • um carro da Cagece queimado;
  • um carro particular atacado;
  • um micro-ônibus incendiado no Parque São José, em Fortaleza;
  • um ônibus da empresa Vitória queimado na ponte da Barra do Ceará, em Fortaleza;
  • ônibus de banda de forró na Barra do Ceará, em Fortaleza;
  • um juizado especial atacado e teve um princípio de incêndio no Vila Velha, em Fortaleza;
  • o estacionamento da prefeitura de Jucás, no interior do Ceará, foi incendiado e quatro veículos foram atingidos pelas chamas, entre eles, dois ônibus escolares;
  • dois caminhões que estavam estacionados em uma rua no Alto Alegre II, em Maracanaú, foram queimados e um idoso ficou ferido;
  • um caminhão de coleta de lixo foi incendiado por três suspeitos em Pacatuba, na Grande Fortaleza.

Terça-feira (24)

  • um caminhão de carga foi interceptado e incendiado sobre a ponte do Rio Ceará, que liga Fortaleza a Caucaia;
  • criminosos atearam fogo em um caminhão na Avenida Vicente de Castro, em Fortaleza; o caminhoneiro, que dormia no veículo, acordou com o susto e se feriu com as chamas;
  • incêndio contra dois ônibus estacionados em um posto de gasolina, no Bairro Palestina, na cidade de Canindé;
  • ônibus sucateado incendiado em um posto de combustível de Ibaretama, no interior do estado.