Celular de Cid Gomes foi atacado seis vezes por hackers segundo relatório da PF

cid

O senador Cid Gomes (PDT-CE) teve o celular atacado seis vezes por hackers que tentaram (ou conseguiram) entrar no aplicativo Telegram e ler o que o ex-governador do Ceará confabulava nos bastidores da política.

A informação é de O Globo. O FG é uma das 84 autoridades públicas que foram alvos de tentativas de invasão feitas pelo grupo de hackers preso na Operação Spoofing.

 

O jornal teve acesso com exclusividade à lista de alvos elencados pela Polícia Federal, que inclui celulares do presidente Jair Bolsonaro e dos seus filhos, os ex-procuradores-gerais da República Raquel Dodge e Rodrigo Janot, membros do Judiciário e procuradores da Lava-Jato.

Em tempo

O relatório da perícia da PF registra a quantidade de vezes em que os hackers utilizaram a técnica de usar um aplicativo para simular uma ligação com mesmo número de origem e de destino. Por meio dessa técnica, os hackers conseguiam invadir a caixa postal dos celulares e obter a senha de acesso ao Telegram, para entrar no aplicativo e ter acesso às conversas mantidas pelo alvo. Foi o que fizeram, por exemplo, com o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, que teve suas conversas vazadas.

Em tempo II

A perícia ainda não identificou de quais alvos os hackers conseguiram efetivamente copiar conteúdo ou efetivamente entrar no Telegram. O relatório registra apenas o fato de terem sido alvo dos ataques.